ORAR E VIGIAR NO CARNAVAL

 

 

“Vigia e ora” orientou Jesus.


Diversas podem ser as formas de abordarmos essa necessidade real e não apenas a parte ético-moral e religiosa. Façamos um breve ensaio sobre o balanço energético ou o quantum energético gerado pelo campo mental – emocional das pessoas durante as festividades do carnaval (aliás bem antes, muito antes; já nos preparativos). Para facilitar o raciocínio, imaginemos que o pensar – sentir – agir em concordância com as leis de amor crie um campo magnético positivo, e que, a direção que se dê a esse campo durante o carnaval seja negativo. Cada um de nós tem um quantum de balanço energético pessoal, diário e durante a existência, que pode ser positivo ou negativo como resultante dessa polaridade. A grande maioria de nós apresenta um saldo quântico muito negativo. Há os que, nunca oram e que raramente praticam a caridade e o bem senão a si próprios. Há os que, oram com regularidade durante alguns minutos por dia, voltam-se ás vezes para o interesse do próximo, até dão esmolas, mas no restante do tempo estão apenas voltados para as suas necessidades materiais de sucesso e de prazer. Outros poucos, vivem em estado de vigilância e de oração mais constante e efetivo e costumam colocar as necessidades do coletivo acima das suas. O nosso somado ao das outras pessoas resulta num quantum coletivo positivo ou negativo. A espiritualidade superior desta e de outras moradas da Casa do Pai tem nos avisado sistematicamente, em todos os lugares e através de medianeiros diversos, que o balanço do quantum energético está perigosamente negativo e, que as conseqüências disso podem materializar-se em graves desastres afetando a vida no planeta como um todo. Resumindo os avisos, o plano A da cúpula decisória da espiritualidade maior é observar para respeitar na íntegra nosso livre arbítrio. O plano B é realizar pequenas intervenções como ajudar a evitar desastres como terremotos, tsunamis, guerra nuclear. O plano C é uma intervenção em larga escala. Neste final dos tempos as transformações são inevitáveis (até mesmo geográficas), mas tudo tem seu momento adequado, porém nosso comportamento coletivo pode apressar os processos de reciclagem do planeta como um todo, preparando terreno para a nova fase de regeneração que se inicia. O problema desse adiantamento gerado pelo balanço quântico extremamente negativo é que criaturas inocentes: animais, vegetais e minerais sofrerão, o que agrava nossos débitos coletivos com a justiça natural. Vale lembrar que nós antigos espíritos – mesmo que estejamos nos primeiros meses ou anos desta existência não somos criaturas inocentes, pois usamos e abusamos do livre arbítrio há muito, muito tempo.
Lógico que durante o carnaval o saldo negativo aumente de forma importante; tão fortemente que muitas foram as notícias dadas em comunicações a esse respeito pela espiritualidade amiga; o perigo que isso representa acaba gerando intensa movimentação do plano espiritual para tentar minorar o problema, mas até quando e até onde vai a paciência Divina – lei de causa e efeito – posta em ação?. O que as pessoas que estão servindo ao Cristo podem fazer? Muito, além de alertar os descuidados que se iniciam na prática do Evangelho, aproveitar para fazer um retiro espiritual e orar muito, vibrar muito criando um balanço pessoal positivo para que somados os esforços de todos, encarnados e desencarnados, tudo caminhe segundo os planos dos Engenheiros Siderais. Claro que o momento é de alegria. Porém é preciso rever nossos conceitos sobre alegria, euforia, prazer... O momento é de muita gravidade. Provavelmente a maior parte das pessoas continue com o mesmo comportamento dos anos anteriores; então aguardemos os noticiários sobre o que vai acontecer nos locais onde o saldo quântico e mais intensamente negativo nesta época do ano. Mudar isso depende de nós, os iniciados na prática do Evangelho, o Mestre foi bem claro: “A quem muito for dado muito mais será pedido...”. Assumamos nossas responsabilidades perante o Planeta.
Muita Paz e oração.

 

(Texto retirado do site Jornal dos Espíritos com a devida permissão)