ORAÇÃO DA NOITE

(Ignácio Larrañaga)
 

Meu Pai, agora que as vozes silenciaram e os clamores se apagaram, aqui ao pé da cama minha  alma se eleva a Ti para dizer: creio em Ti, espero em Ti, amo-te com todas as minhas forças. Glória a Ti, Senhor! Deponho em tuas mãos a fadiga e a luta, as alegrias e desencantos deste  dia que ficou para trás. Se os nervos me traíram, se os impulsos egoístas me dominaram e dei lugar ao rancor e à tristeza, perdão, Senhor! Tem piedade de mim! Se fui infiel, se pronunciei palavras vãs, se me deixei levar pela impaciência, se fui um espinho para alguém, perdão,  Senhor! Nesta noite não quero me entregar ao sono sem sentir sobre a minha alma a segurança da tua misericórdia, tua doce misericórdia inteiramente gratuita, Senhor. Eu te agradeço meu Pai, porque foste a sombra fresca que me cobriu durante todo este dia. Eu te agradeço porque – invisível, carinhoso, envolvente – cuidaste de mim como uma mãe em todas estas horas. Senhor, ao redor de mim tudo já é silêncio e calma... Envia o anjo da paz a esta casa. Relaxa meus nervos, sossega o meu espírito, solta as minhas tensões, inunda meu ser de silêncio e de serenidade. Vela por mim, Pai querido, enquanto eu me entrego  confiante ao sono como uma criança que dorme feliz em teus braços.

Assim seja!